quarta-feira, outubro 24, 2012

HISTÓRIA DOS SURDOS EM PEÇA TEATRAL

Publicado por
Peça teatral dirigida por: Tatiane Maria Lui
 
              HISTÓRIA DOS SURDOS E A PEÇA TEATRAL: Na sombra da vida sempre há uma luz

Na Antiguidade os chineses lançavam os Surdos ao mar, os sacrificavam. Em Esparta eram lançados do alto dos rochedos. Na Grécia, os Surdos eram encarados como seres incompetentes. Aristóteles, ensinava que os que nasciam surdos, por não possuírem linguagem, não eram capazes de raciocinar.
Foi na Idade Moderna que se distinguiu, pela primeira vez, surdez de mudez. A expressão surdo-mudo, deixou de ser a designação do Surdo.
Em 1616 desenvolveu-se um sistema inovador de dactilologia. Houve a defesa da leitura labial, já que se considerava que a fala era uma dádiva de Deus que fazia com que a pessoa fosse humana (não consideravam os Surdos que não falavam como humanos). Não fazia uso da língua gestual, pois acreditavam que os gestos atrofiavam a mente, embora os usassem como método de ensino, para atingir a oralidade.Em Edimburgo (a primeira escola de correcção da fala da Europa) ensinou vários Surdos a falar, criando e definindo o método hoje conhecido como Oralismo.
Já na Idade Contemporânea, o Congresso de Milão, em 1880, foi um momento obscuro na História dos surdos. Antes do Congresso, na Europa, durante o século XVIII, surgiam duas tendências distintas na educação dos surdos: o gestualismo e o oralismo A grande maioria dos surdos defendia o gestualismo enquanto que apenas os ouvintes apoiavam o oralismo.
A partir de então as lutas tem sido constantes pela comunidade surda. No Brasil a oficialização da LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) já é um reconhecimento de tais lutas.
Apresentaremos agora o Cemespi com a peça: Na sombra da vida sempre há uma luz.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião: