quinta-feira, outubro 18, 2012

Instituto Butantan cria versão do Museu de Microbiologia em braile

Iniciativa, em parceria com a Fundação Dorina Nowill. tem como objetivo aproximar a cultura científica e as pessoas com deficiência visual

O Museu de Microbiologia do Instituto Butantan implantou o programa MicroToque, voltado para pessoas com deficiência visual parcial ou total. Segundo o instituto, a iniciativa é inédita e tem como objetivos estimular a curiosidade científica e propiciar oportunidade de aproximação entre a cultura científica e as pessoas com deficiência visual, por meio da produção de conhecimento, da pesquisa e da educação.

Para a produção do material, o Butantan contou com a parceria da Fundação Dorina Nowill. O público com deficiência visual terá à disposição uma maquete do Museu de Microbiologia, composta de materiais de alta resistência ao toque e também coloridos com duas cores contrastantes, de forma a facilitar a visualização por pessoas com baixa visão.

A exposição conta, ainda, com modelos do vírus HIV, da bactéria Escherichia coli, do protozoárioTrypanossoma cruzi e do fungo Penicillium notatum, todos contendo legendas em Braille e em macrocaracteres, representados em modelos tridimensionais.

Há também a visita à Praça dos Cientistas, que abriga 11 bustos de renomados cientistas nacionais e estrangeiros que de alguma forma contribuíram para o desenvolvimento da microimunologia. As pessoas com deficiência visual poderão tocar nos bustos, ler seus nomes em Braille e ouvir uma pequena descrição de seus feitos por meio de áudio guias. Ao final do passeio, o Instituto Butantan presenteia o visitante com um CD-Lembrança.

Fonte: Cidade Biz
Foto Governo de São Paulo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião: