segunda-feira, novembro 26, 2012

Especialização em Educação de Surdos

Estão abertas as inscrições para o curso de especialização em Educação de Surdos, ofertado pelo Campus Palhoça-Bilíngue. Saiba mais no site: http://goo.gl/JYtU4

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=491468767560239&set=a.165611163479336.35196.129700577070395&type=1&theater

quarta-feira, novembro 21, 2012

II Seminário Infância, Educação e Inclusão

CEMESPI participou no dia 13/11/2012 (terça-feira) do II Seminário Infância, Educação e Inclusão  do CIEP Vovó Biquinha.



terça-feira, novembro 20, 2012

20 de novembro... dia da consciência negra!!!


Fonte: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=344351745664182&set=a.221917614574263.45096.167027523396606&type=1&theater   Quem ama educa



Fonte: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=443999152326741&set=a.142306622495997.27111.127763400616986&type=1&theater   Salve o Planeta
 

Livro sobre dislexia

Uma criança com dislexia tem potencial e capacidade para crescer e se destacar na sociedade, desde que receba acompanhamento adequado.

Dizem que há muitos disléxicos famosos. Entre eles, Albert Einstein, Thomas Edison, Leonardo da Vinci, Beethoven, Walt Disney e Noel Gallagher. Provavelmente, todos tiveram ajuda e acompanhamento e, apesar de suas dificuldades, deram valiosas contribuições à sociedade.

Um livro imperdível! Adquira agora mesmo! Autora: Jennifer Moore-Mallinos
Ilustradora: Marta Fàbrega
Indicação: de 8 a 9 anos. 
 

Fonte: http://www.escala.com.br/detalhe.asp?id=10004&grupo=43&cat=280 via Síndrome de Asperger - Autismo infantil

segunda-feira, novembro 19, 2012

Encontro de Libras

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=325282240912419&set=a.164945056946139.35399.100002919363005&type=1&theater

Fenômenos estranhos no CEMESPI parte 1


Para quem lembra dos trabalhos da Psicopedagogia do CEMESPI em relação ao projeto "Para Gostar de Ler", aí vai mais um tema, só para relembrar, o último foi Fábulas. Agora é sobre Suspense. A história foi criada pelos próprios educandos e será finalizado com um livro.

Psicopedagogos: Daniela do Nascimento
                           Erickson de Lima
                           Flávia Pera
                           Georgeana Moritz
                           Mirian Polini

Palavras do Psicopedagogo Erickson Lima: "Atividade baseada na história "A Mansão Misteriosa", criada pelos educandos atendidos pela área de Psicopedagogia do Cemespi ao explorarem o gênero literário "SUSPENSE", e contou com o envolvimento dos profissionais de diversas áreas. De imediato, agradecemos a todos e principalmente à quem aparece nesse vídeo: Nina, Daysi, Elisa, Silvana, Cris, Rúbia e Fabi."

Adriana Partimpim

Adriana Partimpim é o nome com que a cantora Adriana Calcanhotto assina seus trabalhos infantis. Ela agora está lançando seu terceiro disco, “Tlês”, cheio de canções calmas para crianças pequenas. Veja o clipe de Lindo Lago do Amor e ouça outras músicas no site. É ótimo para pais e bebês curtirem juntos!
 
 
 Fonte: Danone Baby Brasil https://www.facebook.com/photo.php?fbid=294743483958590&set=a.293327227433549.52135.267658030000469&type=1&theater

Incentive a leitura para seus filhos

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=507442879280258&set=a.306639742693907.79960.306634476027767&type=1&theater

sábado, novembro 17, 2012

Dicas para os pais sobre TDAH

 
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=538498219511160&set=a.415592305135086.109003.353032264724424&type=1&theater

Dislexia


https://www.facebook.com/photo.php?fbid=125508447581765&set=a.111757882290155.14798.100003678322554&type=1&theater

Super heróis

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=308470859261325&set=a.252513774857034.51442.248505835257828&type=1&theater

Dia da criatividade

Foto: https://www.facebook.com/pensedenovo

Estudo do cérebro de Albert Einstein

Cérebro de Albert Einstein pode fornecer pistas para a sua inteligência, diz estudo.
Chamado de "personificação do intelecto puro", Albert Einstein tem sido considerado um dos homens mais brilhantes que já viveu. Durante a sua vida e depois de sua morte, as pessoas em todos os lugares já se perguntaram como um homem poderia ter possuído tal genialidade. 
Agora, os cientistas podem ter descoberto uma pista dentro do cérebro incomum do físico.
"Embora a dimensão global e forma assimétrica do cérebro de Einstein eram normais, o córtex pré-frontal, motor, somatossensorial primário, temporal, parietal e occipital foram extraordinários", disse Falk, que comparou o órgão a 85 outros cérebros humanos já descritos na literatura científic . "Estes podem ter fornecido as bases neurológicas para algumas de suas habilidades visuais-espaciais e matemáticas.” 
 
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=381344351944798&set=a.333988396680394.77397.333898933356007&type=1&theater
Fonte: Neurociências e aprendizagem : https://www.facebook.com/NeurocienciasEAprendizagem

PLANEJAMENTO MOTOR

O planejamento motor ou praxia é o resultado de um processamento sensorial organizado, pois a partir das informações sensoriais podemos planejar e executar ações desconhecidas. Se em nossas atividades diárias encontramos uma atividade desconhecida, que nunca executamos antes, vamos automaticamente organizar todas as informações sensoriais que já temos e assim, planejar e executar esta nova tarefa. Por exemplo: ao participar de um jogo de bola, nós recorremos a todas as informações sensoriais (visuais, proprioceptivas, vestibulares, táteis, auditivas e etc.) já vivenciadas para planejar e executar esta atividade desconhecida. Quando a criança brinca com uma caixa de sapatos, por exemplo, pode imaginar que ela seja um berço para a boneca (ideação), pensar em como pode transformá-la em um berço (planejamento) e finalmente fazer a transformação (execução). Para a criança que tem dificuldade em planejamento motor, uma caixa será sempre uma caixa devido à dificuldade no planejamento motor.

Foto: http://johannaterapeutaocupacional.blogspot.com.br/2012/08/dicas-de-brincadeiras-em-grupo_21.html

  Mas o que acontece se nós não conseguimos processar as informações sensoriais?

Quando há dificuldade no planejamento motor, observamos que o aprendizado de tarefas novas não acontece de forma automática, pois faltam informações sensoriais para que isso venha a ocorrer. Estas dificuldades podem envolver o campo da ideação, planejamento e/ou da execução de atividades. Assim, tarefas de imitação, a aprendizagem de gestos, o planejamento de uma brincadeira passam a ser problemas para a pessoa.

A dificuldade em planejar e executar tarefas desconhecidas se traduz em comportamentos como:

- escolher sempre os mesmos brinquedos, preferencialmente aqueles que têm um papel claro;
- passar de uma atividade a outra com frequência, não concluir atividades;
- ao desenhar, fazer sempre as mesmas figuras;
- ser desajeitado, esbarrar em tudo que encontra;
- ter dificuldade de pegar uma bola, antecipar um movimento;
- preferir muitas vezes atividades mais sedentárias;
- apresentar dificuldades na alimentação, vestuário e higiene pessoal;
- apresentar dificuldades na imitação;
- evitar situações novas, frustrar-se facilmente;
- preferir seguir rotinas.
- dificuldade em julgar a força necessária para tocar uma pessoa ou um objeto.

Á medida em que o processamento sensorial se torna mais organizado e se consegue uma melhor integração sensorial percebe-se progresso no planejamento motor. Muitas vezes o primeiro sinal desse progresso é uma ligeira melhora na auto-estima e mais vontade de tentar fazer coisas que não se animava a fazer anteriormente. Embora frustrante, é importante entender essa criança. Usar adjetivos para qualificá-la muitas vezes contribui ainda mais para torná-la infeliz e sentir-se incompetente. Sendo uma criança de inteligência normal ela já será seu juiz mais severo e provavelmente se considerará incapaz. É fundamental ajudá-la a entender seu próprio problema e desenvolver estratégias para conviver com ele até que o problema diminua e ela se sinta mais segura. Os esforços em entender integração sensorial por parte da família, escola e outros que convivem com a criança já são meio caminho andado para a solução do problema.

Fonte: Ariela Goldstein via Autismo 
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=245415482254058&set=a.172436099551997.36050.172397142889226&type=1

quinta-feira, novembro 15, 2012

O atendimento da crise epiléptica em 12 passos

 
 
A foto acima ilustra o que qualquer pessoa deve fazer ao presenciar uma crise epiléptica tônico-clônica generalizada. Mas e depois, na unidade de saúde, o que deve ser feito? Já na emergência, em conjunto com uma equipe de saúde preparada, o médico deve se guiar por um processo diagnóstico estruturado. Uma crise epiléptica requer...
alguns cuidados e uma investigação detalhada para que se possa definir o melhor tratamento para cada caso. Tomando como base o livro ‘Emergências Clínicas Baseadas em Evidências’, redigido pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, listamos 12 passos fundamentais a serem seguidos pelo profissional que se depara com uma em crise epiléptica:
 
1) Estabilização clínica, conforme preconizado pelos protocolos de suporte básico e avançado de vida;
2) Exame clínico geral, incluindo parâmetros hemodinâmicos, temperatura, glicemia capilar, saturação de oxigênio;
3) Exame neurológico, com ênfase na pesquisa da rigidez de nuca e fundo de olho;
4) Investigação do uso de medicamentos, drogas ilícitas e possibilidade de abstinência (principalmente os sedativos hipnóticos, depressores do SNC e álcool etílico);
5) Obtenção de dados de história sobre lesão neurológica prévia ou epilepsia;
6) Em pacientes epilépticos, obtenção de dados sobre quais medicações faz uso e eventual não-aderência ao tratamento;
7) Realização de exames laboratoriais para afastar os principais distúrbios hidroeletrolíticos relacionados a crises: glicemia, uréia, creatinina, sódio, cálcio, fósforo, magnésio, hemograma e gasometria arterial;
8) Dosagem sérica de drogas antiepilépticas, útil em pacientes previamente epilépticos;
9) Eletrocardiograma (para afastar arritmias e síndrome do QT longo);
10) Exame de imagem do crânio (ressonância magnética ou tomografia computadorizada, dependendo da disponibilidade, urgência e capacidade de cooperação do paciente). Nos pacientes epilépticos com etiologia já investigada pode-se, criteriosamente, prescindir de novo exame de imagem. A tomografia pode ainda ser necessária para excluir lesões secundárias à crise, como traumatismo craniano;
11) Exame do líquor, fundamental nos casos de suspeita de meningite ou encefalite;
12) Investigação de foco infeccioso sistêmico, em casos selecionados.
 
O objetivo das drogas antiepilépticas é cessar uma crise prolongada e prevenir novas crises. Seu uso é criterioso e reservado para casos selecionados, tendo em vista que a maioria das crises é autolimitada.
 

quarta-feira, novembro 14, 2012

Emprego para pessoas com deficiência

Está procurando emprego? Você tem deficiência?

Entre no site exclusivo para profissionais com deficiência: http://www.deficienteonline.com.br/

Bolinha de Sabão vistia Sítio Recanto do Cavalo

O Grupo Bolinha de Sabão com as Profissionais responsáveis Prof. Carolina Maiola, Fonoaudióloga Rubia Coelho e Psicóloga Daysi Ladwig encerraram o projeto Animais da Fazenda com um delicioso passeio no Sítio do Sr. Negão "Recanto do Cavalo".

Veja que maravilha o passeio!!!!

NEUROCIÊNCIA NA EDUCAÇÃO

A IMPORTÂNCIA DA NEUROCIÊNCIA NA EDUCAÇÃO

Texto escrito por: Fga Vera Lucia de Siqueira Mietto CFFª 3026

Os avanços e descobertas na área da neurociência ligada ao processo de aprendizagem é sem duvida, uma revolução para o meio educacional. A Neurociência da aprendizagem, em termos gerais, é o estudo de como o cérebro aprende. É o entendimento de como as redes neurais são estabelecidas no momento da aprendizagem, bem como de que maneira os estímulos chegam ao cérebro, da forma como as memórias se consolidam, e de como temos acesso a essas informações armazenadas.
Quando falamos em educação e aprendizagem, estamos falando em processos neurais, redes que se estabelecem, neurônios que se ligam e fazem novas sinapses. E o que entendemos por aprendizagem? Aprendizagem, nada mais é do que esse maravilhoso e complexo processo pelo qual o cérebro reage aos estímulos do ambiente, ativa essas sinapses (ligações entre os neurônios por onde passam os estímulos), tornado-as mais “intensas”. A cada estimulo novo, a cada repetição de um comportamento que queremos que seja consolidado temos circuitos que processam as informações, que deverão ser então consolidadas.
A neurociência nos vem descortinar o que antes desconhecíamos sobre o momento da aprendizagem. O cérebro, esse órgão fantástico e misterioso, é matricial nesse processo do aprender. Suas regiões, lobos, sulcos, reentrâncias tem sua função e real importância num trabalho em conjunto, onde cada um precisa e interage com o outro. Mais qual o papel e função de cada região cerebral? Aonde o aprender tem realmente a sua sede e necessita ser estimulada adequadamente?
Conhecer o papel do hipocampo na consolidação de nossas memórias, a importância do sistema límbico, responsável pelas nossas emoções, desvendar os mistérios que envolvem a região frontal, sede da cognição, linguagem e escrita, poder entender os mecanismos a tencionais e comportamentais de nossas crianças com TDAH, as funções executivas e o sistema de comando inibitório do lobo pré frontal é hoje fundamental na educação assim como compreender as vias e rotas que norteiam a leitura e escrita (regidas inicialmente pela região visual mais especifica (parietal), que reconhece as formas visuais das letras e depois acessando outras áreas para que a codificação e decodificação dos sons sejam efetivas. (Artigo escrito pela fonoaudióloga Vera Lúcia de Siqueira Mietto, devendo ser utilizado apenas como parâmetro de estudo.
Os créditos e a revisão textual são de responsabilidade da autora). 

Como não penetrar nos mistérios da região temporal relacionado á percepção e identificações dos sons onde os reconhece por completo? (área temporal verbal que produz os sons para que possamos fonar as letras). Não esquecendo a região occipital que tem como uma de suas funções coordenar e reconhecer os objetos assim como o reconhecimento da palavra escrita. Assim, cada órgão se conecta e se interliga nesse trabalho onde cada estrutura com seus neurônios específicos e especializados desempenham um papel importantíssimo nesse aprender.
Podemos compreender, desta forma que o uso de estratégias adequadas em um processo de ensino dinâmico e prazeroso provocará consequentemente, alterações na quantidade e qualidade destas conexões sinápticas, afetando assim o funcionamento cerebral, de forma positiva e permanente, com resultados extremamente satisfatórios. Estudos na área neurocientífica, centrados no manejo do aluno em sala de
aula vem nos esclarecer que a aprendizagem ocorre quando dois ou mais sistemas funcionam de forma inter relacionada. Assim, podemos entender, por exemplo, como é valioso aliar a musica e os jogos em atividades escolares, pois há a possibilidade de se trabalhar simultaneamente mais de um sistema: o auditivo, o visual e até mesmo o sistema tátil (a música possibilitando dramatizações).
Os games (adorados pelas crianças e adolescentes) ainda em discussão no âmbito acadêmico são fantásticos na sua forma de manter nossos alunos plugados e podem ser mais uma ferramenta facilitadora, pois possibilita estimular o raciocínio lógico, a atenção, a concentração, os conceitos matemáticos e através de cruzadinhas e caça-palavras interativos, desenvolver a ortografia de forma
desafiadora e prazerosa para os alunos. Vários sites na internet nos disponibilizam esses jogos.
Artigo escrito pela fonoaudióloga Vera Lúcia de Siqueira Mietto, devendo ser utilizado apenas como parâmetro de estudo. (Os créditos e a revisão textual são de responsabilidade da autora.)
Desta forma, o grande desafio dos educadores é viabilizar uma aula que ‘facilite’ esse disparo neural, as sinapses e o funcionamento desses sistemas, sem que necessariamente o professor tenha que saber se a melhor forma de seu aluno lidar com os objetos externos é: auditiva, visual ou tátil. Quando ciente da modalidade de aprendizagem do seu aluno, (e isso não está longe de termos na formação de nossos educadores) o professor saberá quais estratégias mais adequadas utilizar e certamente fará uso desse grande e inigualável meio facilitador no processo ensino – aprendizagem.
Outra grande descoberta das neurociências é que através de atividades prazerosas e desafiadoras o “disparo” entre as células neurais acontece mais facilmente: as sinapses se fortalecem e redes neurais se estabelecem com mais facilidade.
Mas como desencadear isso em sala de aula? Como o professor pode ajudar nesse “fortalecimento neural”?Todo ensino desafiador ministrado de forma lúdica tem esse efeito: aulas dinâmicas, divertidas, ricas em conteúdo visual e concreto, onde o aluno não é um mero observador, passivo e distante, mas sim, participante, questionador e ativo nessa construção do seu próprio saber, o deixam “literalmente ligado”, plugado, antenado.
O conteúdo antes desestimulante e repetitivo para o aluno e professor ganha uma nova roupagem: agora propicia novas descobertas, novos saberes, é dinâmico e flexível, plugado em uma era informatizada aonde a cada momento novas informações chegam ao mundo desse aluno. Professor e aluno interagem ativamente, criam, viabilizam possibilidades e meios de fazer esse saber, construindo juntos a aprendizagem.
Uma aula enriquecida com esses pré- requisitos é mágica, envolvente e dinâmica. É saber fazer uso de uma estratégia assertiva onde conhecimentos neurocientíficos e educação caminham lado a lado. 

Fonte: http://www.ceitec.com.br/artigos/a-importancia-da-neurociencia-na-aprendizagem.pdf

             http://ensinandoaaprender.wordpress.com/artigos/

Dia da Alfabetização

 
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=524022284276691&set=a.469997896345797.114255.369601416385446&type=1&theater

Comunicação Aumentativa e Alternativa para iPad, iPhone e Android.

Leslie Grubler criou este para progama para sua filha, autista e não verbal. Ele espera que possa ajudar a todas as crianças com autismo ou qualquer deficiência que prejudica a capacidade de se comunicar.
Niki Talk permite construir próprio álbum de pictogramas usando o Designer online. Uma vez criado o álbum pode ser baixado em todos os dispositivos de propriedade da família (o aplicativo é gratuito). O Designer suporta 31 idiomas e 70 vozes.

Visite www.nikitalk.com (e www.facebook.com/nikitalkaac) e não hesite em contactar se você tem qualquer pergunta.
Isto é o que Leslie Grubler (Unitedny Eiproviders) disse sobre Talk Niki:
 
"Finalmente uma App AAC que é ponderado, lógico, de fácil acesso, e significativa para todos! Ele vai ajudar muitas crianças em todo o mundo, permitir que os pais e as crianças a ligação, e facilitar o tratamento para os terapeutas a um preço que é o custo-benefício diferente de muitos outros Touché ....! "