quarta-feira, julho 31, 2013

Circuito de descobertas!

Oportunizar e explorar um ambiente rico e desafiador, estimulando a curiosidade. Visualizar diferentes objetos e materiais, investigando suas características, propriedades e possibilidades de manuseio, ampliando o conhecimento de mundo. — com Erico Brum.

Aline Gasparotto

terça-feira, julho 30, 2013

Exercícios com massinha e toalha fortalecem as mãos; aprenda a fazer.

mao


Por | em 29/07/2013 
Fonte: http://g1.globo.com/bemestar/noticia

Abrir um pote, uma garrafa d’água ou uma lata, ou mesmo fazer faxina em casa, pode se tornar um exercício complexo e bastante difícil para quem sente dores nas mãos.
Para evitar lesões e outros problemas, porém, é possível fazer exercícios simples, com massinha de modelar ou até mesmo uma toalha, como mostraram o ortopedista Mateus Saito e a terapeuta ocupacional Raquel Matos no Bem Estar desta sexta-feira (26).
A dica principal ao realizar os movimentos é evitar bolinhas duras, que impedem o fechamento completo das mãos. As massinhas são as melhores opções porque permitem o exercício completo. No entanto, os especialistas explicaram que existem diversos tipos de massinhas com densidades diferentes – o ideal é começar com uma mais mole e aumentar a densidade conforme as mãos vão ficando mais fortes. A recomendação é fazer 3 séries de 10 movimentos, mas só as pessoas que não sentem dor nas mãos – quem sente, deve primeiro procurar a ajuda de um especialista. Confira abaixo o passo a passo.
exercicios_pras_maos
Há ainda a opção de fazer exercícios com uma toalha – a dica de terapeuta ocupacional Raquel Matos para quem sente dores é pegar uma toalha pequena e fazer o movimento de torção com as duas mãos. Outra opção é abri-la sobre a mesa e, com a palma da mão para baixo, deslizar a mão aberta. Depois disso, volte as mãos recolhendo a toalha e abrindo e fechando os dedos.
Além desses movimentos de prevenção, alguns hábitos do dia a dia também são importantes para evitar problemas nas mãos, principalmente ao usar o celular, videogame ou computador. Segundo uma pesquisa feita no Canadá com estudantes universitários que digitavam muito em smartphones e jogavam videogame, a base do polegar foi o local de dor mais frequente: 28% apresentaram dores nessa região da mão direita e 20%, na mão esquerda. Além disso, 84% apresentavam dor em alguma parte do corpo.
O estudo apontou, ainda, que o uso da internet no telefone aumenta em 2,21 vezes a chance de dor no polegar. Entre os participantes, o tempo médio de uso do celular foi de 4,65 horas.
Nesse caso, uma das dicas é ativar o sistema de “predição de texto”, “texto preditivo” ou sistema similar, que “adivinha” o que você está tentando escrever. Com isso, você escreve menos e não força tanto os dedos.
Além disso, é bom evitar digitar com a mesma mão que você segura o celular. Prefira dividir o trabalho entre as duas ou apoie o aparelho em alguma superfície. Para quem trabalha usando o computador, inclusive, a recomendação é fazer alongamentos e pausas a cada hora. Ao digitar, é importante também manter a postura do jeito certo – coluna reta, pés apoiados a 90 graus e braços e cotovelos sobre a mesa.

Fica a Dica .

segunda-feira, julho 29, 2013

Ollie

A história em quadrinhos inspirada em Ollie, que tem três anos e nasceu com síndrome de Down, está fazendo o maior sucesso. "A intenção é mostrar ao mundo que indivíduos com síndrome de Down podem nos inspirar e ser nossos heróis", conta o pai do menino, que criou a história. Saiba mais no nosso portal! http://migre.me/fCpke

sexta-feira, julho 12, 2013

Cientistas criam método para detectar dislexia antes da escola

 Ressonância magnética mostra atividade incomum do cérebro.

Um estudo publicado na edição desta semana da revista científica “Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS)” mostra que é possível identificar que uma criança é disléxica antes que ela entre no ensino fundamental.

Estima-se que entre 5% e 17% das crianças tenham dislexia, uma condição que compromete a capacidade de soletrar, prejudicando a leitura e a escrita. Quando há casos na família, a chance de que uma criança também seja disléxica é maior.
A dificuldade de leitura afeta o desempenho das crianças na escola, e muitas vezes elas são rotuladas como preguiçosas. Estudos anteriores apontam inclusive que a frustração causada por essa queda de rendimento pode levar a comportamentos agressivos e antissociais.

Quanto mais cedo a dislexia é diagnosticada, mais eficazes são os tratamentos disponíveis. Normalmente, esse diagnóstico não é feito antes da terceira série.

Os pesquisadores do Hospital Infantil de Boston, nos EUA, fizeram exames de ressonância magnética para observar o cérebro de 36 crianças de pré-escola enquanto elas realizavam tarefas em que tinham que decidir se duas palavras começavam com o mesmo fonema – essa também é uma dificuldade enfrentada pelos disléxicos.

Na comparação com o grupo controle, as crianças com histórico de dislexia na família apresentaram atividade reduzida em certas regiões do cérebro: as junções do lobo temporal com o lobo parietal e o occipital. As mesmas áreas também são afetadas pela dislexia nos adultos.

“Esperamos que identificar as crianças com risco de dislexia na pré-escola ou até mais cedo possa ajudar a reduzir as consequências sociais e psicológicas que essas crianças normalmente enfrentam”, afirmou Nora Raschle, que liderou a pesquisa, em material divulgado pelo Hospital Infantil de Boston.

Fonte: G1

terça-feira, julho 09, 2013

Atitude montessoriana: Sensorial

Permitir e incentivar experiências sensoriais aos bebês e às crianças.

Foto e comentário de Luana Tessera: "Meinhas com apetrechos que costurei para incentivá-la a descobrir os pezinhos. "
Foto e comentário de Mara Menezes Diniz Svaiter: "Experimentando laranja! Analisou todos os detalhes! Até o suco escorrendo pelo braço quando ele apertava a laranja..."




Aprender a dar laços

Ótima ideia!!
Para Coordenação Motora Fina.
Treinando fazer Laços com corda de pular.
 

montessoriforlearning.blogspot.com.br

Placa com fechaduras

Para trabalhar motricidade fina, concentração, estratégia ou simplesmente brincar!!!!


 

Cezar Rodrigues

segunda-feira, julho 08, 2013

Algumas Estratégias Pedagógicas para Alunos com TDAH



Atenção, memória sustentada:
Algumas técnicas para melhorar a atenção e memória sustentadas

1 – Quando o professor der alguma instrução, pedir ao aluno para repetir as instruções ou compartilhar com um amigo antes de começar as tarefas.

2 – Quando o aluno desempenhar a tarefa solicitada ofereça sempre um feedback positivo (reforço) através de pequenos elogios e prêmios que podem ser: estrelinhas no caderno, palavras de apoio, um aceno de mão... Os feedbacks e elogios devem acontecer SEMPRE E IMEDIATAMENTE após o aluno conseguir um bom desempenho compatível com o seu tempo e processo de aprendizagem.

3 – NÃO criticar e apontar em hipótese alguma os erros cometidos como falha no desempenho. Alunos com TDAH precisam de suporte, encorajamento, parceria e adaptações. Esses alunos DEVEM ser respeitados. Isto é um direito! A atitude positiva do professor é fator DECISIVO para a melhora do aprendizado.

4 – Na medida do possível, oferecer para o aluno e toda a turma tarefas diferenciadas. Os trabalhos em grupo e a possibilidade do aluno escolher as atividades nas quais quer participar são elementos que despertam o interesse e a motivação. É preciso ter em vista que cada aluno aprende no seu tempo e que as estratégias deverão respeitar a individualidade e especificidade de cada um.

4 – Optar por, sempre que possível, dar aulas com materiais audiovisuais, computadores, vídeos, DVD, e outros materiais diferenciados como revistas, jornais, livros, etc. A diversidade de materiais pedagógicos aumenta consideravelmente o interesse do aluno nas aulas e, portanto, melhora a atenção sustentada.

5 – Utilizar a técnica de “aprendizagem ativa” (high response strategies): trabalhos em duplas, respostas orais, possibilidade do aluno gravar as aulas e/ou trazer seus trabalhos gravados em CD ou computador para a escola.

6 – Adaptações ambientais na sala de aula: mudar as mesas e/ou cadeiras para evitar distrações. Não é indicado que alunos com TDAH sentem junto a portas, janelas e nas últimas fileiras da sala de aula. É indicado que esses alunos sentem nas primeiras fileiras, de preferência ao lado do professor para que os elementos distratores do ambiente não prejudiquem a atenção sustentada.

7 – Usar sinais visuais e orais: o professor pode combinar previamente com o aluno pequenos sinais cujo significado só o aluno e o professor compreendem. Exemplo: o professor combina com o aluno que todas as vezes que percebê-lo desatento durante as atividades, colocará levemente a mão sobre seu ombro para que ele possa retomar o foco das atividades.

8 – Usar mecanismos e/ou ferramentas para compensar as dificuldades memoriais: tabelas com datas sobre prazo de entrega dos trabalhos solicitados, usar post-it para fazer lembretes e anotações para que o aluno não esqueça o conteúdo.

9 – Etiquetar, iluminar, sublinhar e colorir as partes mais importantes de uma tarefa, texto ou prova.

Tempo e processamento das informações

1 – Usar organizadores gráficos para planejar e estruturar o trabalho escrito e facilitar a compreensão da tarefa. Clique aqui para ver um exemplo.

2 – Permitir como respostas de aprendizado apresentações orais, trabalhos manuais e outras tarefas que desenvolvam a criatividade do aluno.

3 – Encorajar o uso de computadores, gravadores, vídeos, assim como outras tecnologias que possam ajudar no aprendizado, no foco e motivação.

4 – Reduzir ao máximo o número de cópias escritas de textos. Permitir a digitação e impressão, caso seja mais produtivo para ao aluno.

5 – Respeitar um tempo mínimo de intervalo entre as tarefas. Exemplo: propor um trabalho em dupla antes de uma discussão sobre o tema com a turma inteira.

6 – Permitir ao aluno dar uma resposta oral ou gravar, caso ele tenha alguma dificuldade para escrever.

7 – Respeitar o tempo que cada aluno precisa para concluir uma atividade. Dar tempo extra nas tarefas e nas provas para que ele possa terminar no seu próprio tempo.

Organização e técnicas de estudo

1 – Dar as instruções de maneira clara e oferecer ferramentas para organização do aluno desenvolver hábitos de estudo. Incentivar o uso de agendas, calendários, post-it, blocos de anotações, lembretes sonoros do celular e uso de outras ferramentas tecnológicas que o aluno considere adequado para a sua organização.

2 – Na medida do possível, supervisionar e ajudar o aluno a organizar os seus cadernos, mesa, armário ou arquivar papéis importantes.

3 – Orientar os pais e/ou o aluno para que os cadernos e os livros sejam “encapados” com papéis de cores diferentes. Exemplo: material de matemática – vermelho, material de português – azul, e assim sucessivamente. Este procedimento ajuda na organização e memorização dos materiais.

4 – Incentivar o uso de pastas plásticas para envio de papéis e apostilas para casa e retorno para a escola. Desta forma, todo o material impresso fica condensado no mesmo lugar minimizando a eventual perda do material.

5 – Utilizar diariamente a agenda como canal de comunicação entre o professor e os pais. É extremamente importante que os pais façam observações diárias sobre o que observam no comportamento e no desempenho do filho em casa, assim como o professor poderá fazer o mesmo em relação às questões relacionadas à escola.

6 – Estruturar e apoiar a gestão do tempo nas tarefas que exigem desempenho em longo prazo. Exemplo: ao propor a realização de um trabalho de pesquisa que deverá ser entregue no prazo de 30 dias, dividir o trabalho em partes, estabelecer quais serão as etapas e monitorar se cada uma delas está sendo cumprida. Alunos com TDAH apresentam dificuldades em desempenhar tarefas em longo prazo.

7 – Ensine e dê exemplos frequentemente. Use folhas para tarefas diárias ou agendas. Ajude os pais, oriente-os como proceder e facilitar os problemas com deveres de casa. Alunos com TDAH não podem levar “toneladas” de trabalhos para fazer em casa num prazo de 24 horas.

Técnicas de aprendizado e habilidades metacognitivas

1 – Explicar de maneira clara e devagar quais são as técnicas de aprendizado que estão sendo utilizadas. Exemplo: explicar e demonstrar na prática como usar as fontes, materiais de referência, anotações, notícias de jornal, trechos de livro, etc.

2 – Definir metas claras e possíveis para que o aluno faça sua autoavaliação nas tarefas e nos projetos. Este procedimento permite que o aluno faça uma reflexão sobre o seu aprendizado e desenvolva estratégias para lidar com o seu próprio modo de aprender.

3 – Usar organizador gráfico (clique aqui para ver) para ajudar no planejamento, organização e compreensão da leitura ou escrita.

Inibição e autocontrole

1 – Buscar sempre ter uma postura pró-ativa. Antecipar as possíveis dificuldades de aprendizado que possam surgir e estruturar as soluções. Identificar no ambiente de sala de aula quais são os piores elementos distratores (situações que provocam maior desatenção) na tentativa de manter o aluno o mais distante possível deles e, consequentemente, focado o maior tempo possível na tarefa em sala de aula.

2 – Utilizar técnicas auditivas e visuais para sinalizar transições ou mudanças de atividades. Exemplo: falar em voz alta e fazer sinais com as mãos para lembrar a mudança de uma atividade para outra, ou do término da mesma.

3 – Dar frequentemente feedback (reforço) positivo. Assinale os pontos positivos e negativos de forma clara, construtiva, respeitosa. Este monitoramento é importante para o aluno com TDAH, pois permite que ele desenvolva uma percepção do seu próprio desempenho, potencial e capacidade e possa avançar motivado em busca da sua própria superação.

4 – Permitir que o aluno se levante em alguns momentos, previamente combinados entre ele e o professor. Alunos com hiperatividade necessitam de alguma atividade motora em determinados intervalos de tempo. Exemplo: pedir que vá ao quadro (lousa) apagar o que está escrito, solicitar que vá até a coordenação buscar algum material, etc., ou mesmo permitir que vá rapidamente ao banheiro ou ao corredor beber água. Este procedimento é extremamente útil para diminuir a atividade motora e, muitas vezes, é ABSOLUTAMENTE NECESSÁRIO para crianças muito agitadas.




TEA e TDAH Brasil

Sistema talk tools

Você já ouviu falar do sistema talk tools? Essa metodologia ajuda a criança a fortalecer a mandíbula, a língua e os lábios por meio de exercícios. Na imagem abaixo, Vito Bonomo aprende a sugar líquidos com a ajuda de uma seringa. Saiba mais sobre o sistema talk tools no nosso portal! http://bit.ly/18ILOBH

 

Prendedores + Lacinhos de Feltro

Para enfeitar o varal da sua sala de aula ou do seu espaço de atendimento!!!

Para mais ideias e cursos, é só acessar:
http://www.revistaartesanato.com.br/

Acessibilidade

Turma da Febeca (Cartunista Victor Klier)

http://www.megaterio.com.br/febeca/

sexta-feira, julho 05, 2013

Prática das letras!

Kenny, o primeiro tigre branco com Síndrome de Down

Esse é Kenny, o primeiro tigre branco com Síndrome de Down.

Kenny tem sua deficiência genética devido a uma procriação mediante endogamia. Na tentativa de retardar a extinção do tigre branco, pesquisadores decidiram fazer as famílias de tigre se reproduzirem entre si, o que resultou a falha genética de Kenny.

www.ambientalistasemrede.org
— com Jaqueline Cavalcante.

 

quinta-feira, julho 04, 2013

Jogo da acentuação

Aproveite o fim de tarde para treinar os pontos principais do novo acordo ortográfico da língua portuguesa: Acesse: http://abr.io/Acentos

Afinal, aprender nunca é demais! 


Projeto "Ao pé do ouvido"

Este projeto elaborado pela Psicopedagogia juntamente com a Fonoaudiologia do CEMESPI tem como objetivo estimular a capacidade metalinguistica do educando, mais precisamente a capacidade de poder pensar sobre a linguagem e poder operar com ela criativamente em seus distintos níveis: semântico, sintático e fonológico.
Confira o trabalho!!!!





Memória de trabalho e atenção auditiva

Objetivo da utilização deste vídeo: "Memória de trabalho e atenção auditiva."

 O Grupo Tiquequê, formado por Isabel Tatit, Angelo Mundy, Diana Tatit e Wem, canta "A velha a fiar".

quarta-feira, julho 03, 2013

Biblioteca Pública Municipal de Itajaí recebe prêmio nacional!

A Biblioteca Pública de Itajaí foi premiada com o primeira colocação em um concurso nacional de fotografia, participando com várias outras bibliotecas do Brasil. O concurso foi promovido pelo blog Bibliotecas do Brasil e teve por objetivo apresentar as fotografias das fachadas das bibliotecas brasileiras e um breve histórico de seu funcionamento. A funcionária Aline Comelli foi a autora do trabalho vencedor do primeiro lugar, destacando a Biblioteca Pública de Itajaí no cenário nacional. O prêmio é uma coleção de livros de literatura universal, que Aline vai doar à Biblioteca Pública. O trabalho pode ser conferido no endereço: www.bibliotecasdobrasil.com