quarta-feira, novembro 06, 2013

Método multissensorial - Fonoaudióloga Mariana Souza


O trabalho multissensorial é utilizado no CEMESPI em crianças com dislexia (de desenvolvimento), crianças de risco em relação à dislexia e com transtornos de aprendizagem associados às dificuldades na fala que não se alfabetizaram.

O trabalho multissensorial para apropriação do sistema ortográfico tem como trajetória de intervenção o desenvolvimento das sub-habilidades de consciência fonológica, o método fonovisuoarticulatório da autora Renata Jardini, conhecido como “método das boquinhas”, e a associação de técnicas para melhoramento da memória de trabalho. O termo fonovisuoarticulatório refere-se aos aspectos fonológicos (o som das letras), visuo (grafemas/letras) e articulatório (articulemas/boquinhas) que se interagem entre si.

O método multissensorial é uma ferramenta que alia a estimulação de vários inputs (entradas) neurológicos, a qual facilita o armazenamento e a consequente aprendizagem do processo de decodificação/codificação da leitura e escrita bem como as convenções ortográficas. Além disso, pelo fato de enfatizar a oralidade, ele fortalece a fonoarticulação e ajuda na organização fonológica da fala em crianças com atraso, atendendo assim as específicas necessidades do grupo de educandos mencionados.

Segundo a autora Jardini, a pista fônica é muito abstrata, exigindo alto grau de atenção e percepção auditiva. A visualização pelo educando dos articulemas/grafemas associada à observação no espelho do movimento que a boca faz ao produzir o fonema, reforçado com pistas sinestésicas, torna a percepção auditiva dos fonemas menos abstrata.

Fonoaudióloga: Mariana de Souza

 Método multissensorial
Método das boquinhas Autora Renata Jardini
 Atividades
Segmentação silábica de palavras e percepção de vogais dentro de sílabas
 
Articulando som (atividade fonovisuoarticulatório)
Percepção tátil das letras (estimulação de áreas integradas do cérebro - "giro angular"): tátil/visual/auditiva/sinestésica)
Jogo de lince (adaptado)
 
 Neste vídeo o educando está revisando as letras e os sons já aprendidos. O educando visualiza a letra, articulema (boquinha) e produz o som da letra. Na dislexia é importante trabalhar uma unidade gráfica isoladamente associada ao seu som

 

Pista sinestésica do fonema [k]
Nesta atividade o educando faz a leitura dos articulemas e também a transcrição para os grafemas, fazendo assim, a decodificação da palavra escrita
São colocadas fichas em cima das palavras encontradas
 




Neste védeo o educando faz a leitura dos articulemas e também a transcrição para os grafemas, fazendo assim, a decodificação da palavra escrita.

Bingo de sílabas e boquinhas
 


Esta atividade consiste em decodificar os sons dos articulemas em sílabas escritas

Jogo para transcrição das boquinhas em letras
 
 
 


O método das boquinhas têm ajudado os casos de distúrbio específico de linguagem com comprometimento na programação motora dos sons da fala. Facilita o processo de alfabetização e a práxis motora oral no momento da leitura. Ainda nestes casos, foram associadas às letras, as pistas sinestésicas do português sinalizado utilizadas pelos surdos. O hábito da leitura cria uma rota lexical modificando seu repertório linguístico, melhorando o padrão de fala espontânea

3 comentários:

  1. Mariana sempre um exemplo a ser seguido... profissional de um excelência e humildade que me faz muito feliz de compartilhar idéias e projeto com ela... Parabéns

    ResponderExcluir
  2. Mari, parabéns. Sempre fui fã do seu trabalho. Vc se supera sempre. E isso me faz admirá-la ainda mais. Beijos

    ResponderExcluir
  3. Sou grata a toda equipe do cemesp que acolheram meus filhos e eu com todo carinho e profissionalismo. Um grande abraço família!

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião: