segunda-feira, fevereiro 17, 2014

Treinando crianças com deficiência visual a usar o banheiro


O treinamento do toalete funciona melhor quando os pais dessas crianças têm acesso à orientação, instrução e encorajamento. O primeiro passo para começar é perceber se a criança está pronta.
Os sinais de prontidão para todas as crianças são:
  • Ela percebe a diferença de estar molhada ou seca?
  • Ela pode sentir quando precisa ir ao banheiro urinar ou evacuar?
  • Ela é capaz de atingir penico ou o banheiro a tempo (com a sua ajuda)?
  • Ela pode se despir e vestir ou está pronta para aprender?
  • Ela é motivada para dar esse próximo passo?
Se a criança está em uma fase de resistência, não está pronta para assumir um novo desafio ou ainda não se sente à vontade para se comportar como as crianças sem deficiência,  você precisa dar um tempo e prepará-la, conscientizá-la da importância deste processo.
Se você acha que a criança está pronta, converse com o pediatra, psicólogo, educador especial, ou qualquer outros profissionais que trabalham com ela. Você terá acesso a opiniões e orientações valiosas, baseadas nas necessidades específicas da criança que você acompanha.
Também é importante se preparar emocionalmente antes de embarcar nesta experiência. Crianças com deficiências muitas vezes começam o treinamento do toalete mais tarde do que outras crianças, muitas vezes a conclusão do processo ocorre anos depois de iniciado, o que exige paciência. Acidentes acontecem e, é claro, que você vai precisar recorrer a uma dose extra de paciência e humor quando eles ocorrerem.
As crianças com deficiência visual experimentam uma desvantagem em várias fases do treinamento. Em primeiro lugar, elas são incapazes de observar os membros da família e colegas que usam o banheiro, então elas não podem imitar esses comportamentos. Os detalhes de onde fica o penico no banheiro, como o corpo é orientado enquanto se senta, como a urina e as fezes entram no penico, como se puxa, corta e usa o papel higiênico vão precisar de mais explicações para que ela venha a entender como funciona o processo. 
 
Portanto, nesses casos, você provavelmente vai querer esperar um pouco mais para começar,  até que a criança tenha três ou quatro anos (ou até mais tarde) para que ela possa compreender totalmente o que você está dizendo.
 
Quando o adulto está pronto para introduzir a criança com deficiência visual para uso do sanitário, ele começa permitindo que ela explore e localize o banheiro. (Certifique-se de que este ambiente seja agradável e seguro para que ela queira usar). Colocar as mãos nos ombros do adulto para que ela possa sentir alguém sentado no vaso sanitário, enquanto explica o que você está fazendo e porque; deve-se também orientar as mãos da criança em direção ao papel higiênico, a descarga e a pia. Depois de ter colocado um penico no banheiro, faça de tudo para mantê-lo no mesmo lugar durante todo o processo de treinamento. Fale com a criança sobre o uso de vaso sanitário em outras vezes, também, ressalte que a maioria das pessoas sabem usar o banheiro e que o uso de vaso sanitário é um sinal de ser uma criança grande, que pode cuidar de si mesma.
  
Uma vez que ela começa a praticar o uso do penico, você terá que manter o banheiro e a passagem para ele livre de obstáculos. Um penico musical que é ativado quando a urina atinge a bacia pode tornar o processo de aprendizagem mais divertido. Ensine a criança a sentir a borda do assento antes de jogar o papel higiênico e, se a criança é um menino ensine-o a urinar em pé de forma correta para que ele não urine no vaso sanitário. Finalmente, quando ela estiver mais confortável com o uso do banheiro, leve-a em outro banheiro que não o de casa. Assim, vai ajudá-la a se familiarizar com a grande variedade de layouts e estilos de WC . E, sobretudo, você vai ajudar a construir a autoconfiança da criança. Saiba mais: www.reab.me

Fonte:  http://dvsepedagogia.blogspot.com.br/2014/01/treinando-criancas-com-deficiencia.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião: