quinta-feira, outubro 30, 2014

Saúde bucal dos nossos educandos

O CEMESPI teve o prazer de receber uma palestra com a Dentista Sandra Lunardelli sobre Saúde Bucal e adaptações dos instrumentos utilizados para escovação para os educandos com deficiência!

Obrigado e volte sempre!

Dentista Sandra Lunardelli
 






Muito obrigado!

ATENÇÃO pais dos educandos da FISIOTERAPIA!

Senhores pais dos educandos que participam do programa CONECTE da Fisioterapia, não esqueçam da nossa reunião!!!! É hoje!!!! Participem é muito importante!!!!
 
Obrigada, Equipe de Fisioterapia!

Data: 30/10/2014
Horário: 18h30min
Local: CEMESPI

Reunião de pais!

Limites

"Não, não está tudo bem se o meu filho te lamber. Permitir que ele não se comporte de acordo com a idade que tem não lhe fará bem nenhum". Mãe de menino com síndrome de Down fala da importância e da dificuldade de educar e estabelecer limites. Leia mais em nosso portal. -- http://bit.ly/1p1braE


Foto: Rovena Rosa / Imagens do Povo

quarta-feira, outubro 29, 2014

Mérito Educacional

O CEMESPI agradece a participação da Fonoaudióloga Mariana de Souza Caetano e Fisioterapeuta Thaise Erthal Borth por nos representarem com grandeza este ano. Os trabalhos maravilhosos foram "Vendo, ouvindo e sentindo letras" na Fonoaudiologia e "Terapia assistida por animais (TAA): Uma nova perspectiva do atendimento de Fisioterapia do CEMESPI" na Fisioterapia. Muito obrigada e parabéns!

Confiram as fotos dos trabalhos!!!!

Thaise, Diretora Adjunta Clausa e Mariana
"Vendo, ouvindo e sentindo letras"







"Terapia assistida por animais"






terça-feira, outubro 28, 2014

CEMESPI ganha 20 tablets da SME

Modernidade e tecnologia serão as novas colaboradoras no processo de aprendizagem dos alunos da Rede Municipal de Ensino. Isto porque treze unidades receberam simbolicamente, na tarde de sexta-feira (24), 300 tablets que vão ajudar no ensino e aprendizado dos estudantes.

A entrega faz parte de um projeto de informatização para os alunos, desenvolvido pela Diretoria de Tecnologias Educacionais da Secretaria de Educação.

Para estimular a coordenação motora e a criatividade dos pequenos, oito unidades da Educação Infantil irão receber cada uma, 25 tablets, que fazem parte de um projeto piloto da Educação.

Já as Escolas Básicas receberão 80 tablets que serão distribuídos nas aulas do Espaço de Vivência em Alfabetização (EVA) e como fruto de um projeto inovador para usar o equipamento no espaço escolar. As unidades de Educação Especial também receberão 20 tablets para desenvolver um trabalho diferenciado com as crianças. Neste quesito o CEMESPI foi contemplado.


Membro da APP Denise e Diretora Giseli no evento da entrega.
Diretora Giseli recebendo o tablet.
 

Entrega aos funcionários do CEMESPI!





 





CEMESPI na Festa do Servidor Público!

Acessibilidade! Para TODOS!

Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo

CEMESPI na Coluna do Jornal dos Bairros

Comemoração dos 15 anos do CEMESPI apareceu na coluna "Sociedade em destaque" do "Jornal dos Bairros". Confira!

Neide Pasold Uriarte

quarta-feira, outubro 22, 2014

Personagem da Disney com Síndrome de Down


Galera, por várias gerações, os personagens da Disney são exemplos de inspiração para as crianças. Mas, os personagens não condizem com a realidade de quem possui alguma deficiência física, intelectual, visual ou auditiva. Foi pensando nisso que a americana Keston Ott-Dahl, mãe de uma menina de 15 meses com síndrome de Down, lançou uma petição online para recolher 31 mil assinaturas para pedir à Disney que crie diversos personagens com síndrome de Down. 

É importante para o desenvolvimento das crianças com deficiência que elas tenham um herói com quem possam se identificar, e também formarmos uma sociedade que enxergará a pessoa com deficiência como um cidadão que precisa sim de maiores cuidados, mas que é capaz de realizar qualquer tarefa. 

Saiba mais sobre como assinar a petição: http://bit.ly/1uA9n5E

Romário Faria

terça-feira, outubro 21, 2014

Inclusão Escolar Não Exime Estudo Especializado

É preciso reflexão e atitude nessa questão.

A ideia de que, se você faz inclusão escolar, você deixa de exigir que o Governo cumpra seu papel ao não proporcionar o aprendizado especializado, é uma condição inaceitável. A inclusão escolar jamais deve eximir o aprendizado especializado e devemos exigir isso de nosso Governo.
Todos àqueles que defendem a Inclusão Escolar devem ter em mente que para que ela ocorra é preciso conhecimento da Instituição de Ensino a respeito da dificuldade específica de aprendizagem do aluno em questão e interesse por parte das mesmas, assim como dos professores e de todos àqueles que trabalham na instituição de ensino de que a inclusão seja uma verdade e não utopia.
O ensino especializado deve ocorrer sim, deve ser o norte orientador para que as escolas regulares obtenham maiores informações, para que elas possam se orientar em como trabalhar com a inclusão de um aluno com dificuldade ou diferente entendimento sobre o método tradicional de aprendizagem.
O ensino especializado deve ser de direito daqueles que ele o escolhem, assim como o ensino inclusivo.
A Inclusão Escolar em nosso País é precária e esta na primeira fase de implantação, porém muitas políticas públicas e a movimentação da sociedade se tem feito presente para que essa realidade se modifique. Cada pessoa que defende e acredita na Inclusão Escolar tem um papel fundamental nessa implantação que se resume em ATITUDE.
Não é fácil fazer Inclusão Escolar, é muito duro. Tanto os pais quanto os educadores inclusivos lutam todos os dias com pré-conceitos, com conceitos, com um falso olhar a respeito do que é o melhor ao aluno, que por vezes tem o objetivo de propiciar o bem estar da Instituição Escolar e não o do aluno, pois mexer na estrutura escolar dá trabalho e poucos têm a coragem e vontade de faze- lo.
Mas muitas Instituições de Ensino têm mudado esse olhar e têm escolhido a “Inclusão Sem Utopias”, e a REALIZA com trabalho e ânimo diário.
As Instituições de Ensino também devem exigir do Governo seu papel orientador, fazendo valer seus direitos de Instituição que deve ser apoiada e receber orientação nessa transição e modificação do perfil de sociedade segregacionista para inclusiva.
Porém cabe a Instituição Escolar plantar na consciência de cada professor, de cada aluno, de cada pai de aluno, de cada funcionário, que a Inclusão Escolar é a evolução da sociedade e que para que ela se concretize, é necessária uma modificação pessoal de cada um na forma de julgar e de agir com esses alunos e seus familiares.
Todos são importantes, ninguém esta fora do barco.
Um faz diferença na vida desse aluno. Todos fazem diferença na vida desse aluno.
Os Pais, com respeito, devemos cobrar sim da Instituição de Ensino essa inclusão, e fazer valer os direitos de cidadão de nossos filhos.
Porém devem ser prestativos e saber ouvir as dificuldades que a Instituição de Ensino venha a encontrar, pois as adversidades se farão presentes constantemente. Se os duelos, Inclusão X Escola, forem constantes, vale repensar, “O que me fez buscar essa escola? Acredito no que aplicam? Luto por mim, ou por meu filho?”.
É preciso muita discussão e estudo a respeito de Inclusão Escolar, pois incluir não é simples.
Atualmente a infância é o primeiro alvo de Inclusão Escolar, porém há uma infinidade de pré-adolescentes, adolescentes e jovens precisando dessa atenção e dessa prática em suas vidas.  E as Instituições de Ensino, que oferecem Ensino Fundamental II, Ensino Médio e Ensino Superior precisam saber trabalhar e inserir o Autista em seu contexto escolar.
As atitudes e conceitos de Inclusão Escolar devem ser uma prática para todas as Instituições Escolares, bem como Faculdades e Universidades.
A sociedade se transforma pela educação.
Meu profundo agradecimento aos professores que plantam capacidade, alegria e respeito em seus alunos.

“O Mestre se for verdadeiramente sábio não vos convidará a entrar na mansão do seu saber, mas vos conduzirá antes ao limiar de vossa própria mente. (Gibran Khalil-1923)”.

Adriana Godoy.
15/10/2014.


II Fórum Primeira Infância Protegida e II Semana Primeira Infância Protegida

O CEMESPI participou!


Fisioterapeuta Tatiane Corazza
Fonoaudiólogas Daniella, Tatiana, Simone (Vovó Biquinha), Aline e Fisioterapeuta Thaise


Diretora Adjunta Cleusa
Professora do AEE/Produção de Materiais Eliane com Simone (Vovó Biquinha)
Simone (Vovó Biquinha), Psicóloga Fernanda e Professora do AEE Sandra
Fisioterapeuta Tatiane, Simone (Vovó Biquinha) e Professora do AEE Viviane
Simone (Vovó Biquinha), Psicopedagogos Georgeana, Daniela, Flávia, Erickson, Denise, Mirian e Bete (Vovó Biquinha)
Joaquina (Vovó Biquinha) e Professora do AEE Daniela