segunda-feira, maio 23, 2016

Dessensibilização com lãs

Comportamentos estereotipados dos autistas: a alteração sensorial.

Obs: Esta atividade foi realizada com diferentes deficiências, mas que foi percebido a necessidade desta estimulação
  
Professora do AEE: Eliane Venturella
Educandos: Arthur Vladmir
                    Miguel de Lima
                    Júlia Domingos 
                    João Gabriel Cavalheiro
                   
O nosso sistema nervoso recebe diversos estímulos através dos órgãos dos sentidos, como informações visuais, auditivas, táteis, olfativas, gustativas, proprioceptivas e vestibulares. O sistema nervoso, então, organiza estas informações, decodifica-as e responde a elas de forma apropriada, por exemplo, buscando mais de um estímulo que gerou sensações prazerosas e repelindo ou se afastando de um estímulo que gerou sensações aversivas.
As crianças autistas, entretanto, apresentam alterações orgânicas que afetam a recepção e a decodificação de estímulos sensoriais. Com isso, estes estímulos podem afetar o organismo da criança de forma exagerada ou diminuída, isto é, gerando muito prazer ou extrema aversão. Desta forma, um estímulo que, para as pessoas que não possuem tal alteração sensorial, gera uma sensação levemente prazerosa ou quase neutra, para uma criança autista pode gerar uma sensação muito prazerosa e, assim, extremamente reforçadora, fazendo-a buscar esta estimulação repetidas vezes. Por exemplo, olhar objetos rodando (uma estereotipia bastante comum nesta população). Em outros casos, um estímulo que para nós é prazeroso ou neutro, pode ser extremamente aversivo para as crianças com autismo, por exemplo, alguns sons comuns do dia-a-dia, mas que geram extrema irritação em crianças autistas.
Devido à presença desta característica na maior parte das crianças com autismo, é fundamental que elas passem por experiências sensoriais nos atendimentos do AEE. É necessário avaliar como o organismo da criança está recebendo e decodificando estímulos sensoriais, identificar possíveis disfunções neste processo e, então, aplicar procedimentos para minimizar estas falhas e regular o organismo da criança por meio da Integração Sensorial. 
Os estímulos sensoriais são divididos em categorias, como:
  • Macios: algodão, pelúcia, lado macio da esponja de louça, etc.
  • Compressores: touca de natação, cobertores ou lycra (para enrolar a criança), pesos sobre o corpo, etc.
  • Ásperos: lado áspero da esponja de louça, lixa, areia, etc.
  • Sonoros: instrumentos musicais, fone de ouvido, microfone, aparelho de som, etc.
  • Luminosos: lanterna no escuro, brinquedos que brilham ou com luzes, etc.
  • Cerdas: espanador, escovinha de cabelo de bebês, pena, etc.
  • Gelatinosos: massinha, geleca, tinta, etc.
  • Térmicos: bolsa térmica, gelo, água quente e fria, etc.
  • Vestibulares: cama elástica, rede, balanço, etc.
  • Massageadores: massageador elétrico ou de madeira, massagens com cremes hidratantes, etc.
  • Proprioceptivos: piscina de bolinhas, luva de borracha cheia de água, arroz, feijão, etc.
Essas atividades proporcionam à criança o contato com diferentes estímulos sensoriais (texturas, sons, movimentos, imagens, etc.) e observando suas respostas a cada estímulo.
A dessensibilização, consiste em expor a criança a essa estimulação repetidas vezes, sempre pareando-a com outras estimulações prazerosas. Assim, o estímulo aversivo pode vir a adquirir as características reforçadoras do estímulo que gera prazer. Além disso, durante este procedimento, nunca deve-se permitir que a criança sinta novamente a aversão àquele estímulo. Para isso, é importante parar a estimulação antes de ficar aversiva.
 
Referências Bibliográficas:
Rampazo, S. M. (2011). A terapia ocupacional utilizando-se da teoria da integração sensorial e da análise aplicada do comportamento para minimizar estereotipias de crianças com transtornos do espectro do autismo. Monografia para o curso de Pós-graduação em Terapia Ocupacional – Saúde Funcional, Facis – Faculdade de Ciências da Saúde de São Paulo.
  
Veja um exemplo de atividade de dessensibilização: categoria da propriocepção. Aqui foi utilizado lãs coloridas.
Arthur Vladmir procurando as letras do seu nome
 

Confira o vídeo


João Gabriel procurando bolas transparentes com objetos dentro com auxílio da lanterna
 
 


Júlia Domingos procurando as letras do seu nome
 
Miguel procurando as letras do seu nome
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião: